O Santo de Todos, um drama biográfico
Críticas

O Santo de Todos, um drama biográfico

O Santo de Todos

O Santo de Todos: A Vida e Missão de Santo Antônio Maria Clareté um drama biográfico que chega num momento importante. Tudo porque estamos em um período eleitoral onde usam a fé alheia para tudo, menos para propor um diálogo civilizado sobre benfeitorias na vida dos cidadãos mais necessitados. Portanto, é esse detalhe que faz a diferença por aqui. Entenda: desde sempre, foram homens brancos tentando relativizar e usar tudo a seu bel prazer. Mas, por sorte, tivemos outros, como Claret, para levar luz para este ‘túnel’ imenso e desolador.

O roteiro, que tende a ser novelesco em muitos momentos, justifica as idas e vindas no tempo. Essas linhas narrativas mostram, ao mesmo tempo, que algumas lutas tendem a permanecerem mais complexas, não importa as décadas ou os séculos.

Em um lado temos o escritor Azorín, que preza por uma retração histórica da vida de Claret e do outro, a vida do próprio arcebispo e seu diálogo de igualdade para com os escravos, por exemplo. Há uma grande coragem do diretor e roteirista Pablo Moreno em analisar que uma ala da Instituição Católica foi conivente com tais atrocidades (antes das missas, pessoas negras eram vendidas como objetos em leilões bizarros).

O Santo de Todos: A Vida e Missão de Santo Antônio Maria Claret passa ainda pela sua fase de arcebispo em Cuba e, em seguida, de conselheiro e confessor da Rainha Isabel II.

O Santo de Todos e mais aspectos técnicos

Como dissemos antes, mesmo que haja uma dramatização mais novelesca, temos acertos a serem pontuados. A princípio, a reconstrução das épocas (tanto a do século retrasado quanto a do passado) é excelente, bem como a escolha dos atores.

O Santo de TodosCarlos Cañas como o escritor e Antônio Reyes como Claret tem atuações inspiradas. Mas não dá pra dizer o mesmo da montagem e edição que, por vezes, é confusa. Sobretudo, o filme justifica que o cinema espanhol tem muitas histórias sensacionais para contar, seja com Almodóvar, del Toro ou Pablo Moreno.

Sinopse de O Santo de Todos

Em 1930, o escritor Azorín descobriu um engano que havia sido propagado por quase 60 anos: a vida e obra do Arcebispo espanhol Antonio María Claret, fundador dos Missionários Claretianos, havia sido adulterada. Baseado em fatos reais, o filme nos leva a conhecer a história, o pensamento e os fatos autênticos sobre o arcebispo de Cuba e, posteriormente, confessor da rainha Isabel II.

Onde assistir O Santo de Todos

O filme chega aos cinemas com cópias dubladas. A direção de dublagem de Eduardo Borgerth, que também dá voz ao protagonista da trama. Além disso, temos vozes de Marcio Simões, Guilherme Briggs, Padua Moreira, Mariângela Cantú, Priscila Amorim, Duda Ribeiro, Luis Carlos Persy, Guilherme Lopes, Philipe Maia, Maguolo, Carla Pompílio, Sabrina Myragaia, Tatá Guarnieri, Alfredo Martins, Wagner Torres, Oziel Monteiro, Eduardo Dascar, Hercules Fernando, Sergio Stern, Bruno Linhares, Carlos Gesteira, Marcio Araújo, Renan Freitas, Gil Mesquita e vozes adicionais de Bia Barros, Maria Lacombe e Lacarve. O estúdio de Gravação é o BORGMAN produções.

Título Original:Claret
Ano Lançamento: 2020 (Espanha)
Dir: Pablo Moreno
Elenco: Antonio Reyes, Carlos Cañas, Alba Redondo, Marta Romero, Assumpta Serna, Scott Cleverdon

ORÇAMENTO: —
NOTA: 7,0

Deixe um comentário

Você não pode copiar o conteúdo desta página