Rota 66 – A Polícia que Mata, nova série original Globoplay
Seriado

Rota 66 – A Polícia que Mata, nova série original Globoplay

rota 66 - a policia que mata

Rota 66 – A Polícia que Mata é a mais nova série original Globoplay. Tirada do livro de mesmo nome, retrata, primeiramente, uma parte da vida do jornalista Caco Barcellos e, ao mesmo tempo, um dos momentos mais deploráveis da história de nosso país.

Além disso, é interessante e corajoso da parte dos roteiristas e diretores tocarem em uma ferida que ainda está exposta e visível nos dias de hoje. Vide os apoiadores do atual presidente e seus pedidos de intervenção militar, por exemplo.

A direção artística, que ficou por conta do incrível Philippe Barcinski (de Não Por Acaso), é um primor à parte. Provando que o streaming é um dos mais competentes do país na construção de conteúdo.

Na entrevista coletiva que oCinema e Pipocateve a oportunidade de participar, Caco contou o seguinte sobre a investigação: “a maior dificuldade foi conviver com as pessoas vítimas dessa brutalidade. Eu queria usar meu trabalho para fazer uma denuncia. Só não desisti, pois sofro com a injustiça que envolva uma pessoa alheia à minha história e isso tudo me deu combustível para continuar. Aprendi com colegas que admiro muito, principalmente os espanhóis, que também sou um correspondente de guerra. Tudo porque, no Brasil, temos homens fardados lutando contra civis. Além disso, os mortos vão para sua alma e isso se revela dramático do ponto de vista pessoal… não sei quantas vezes tive pesadelos. Fiz um processo terapêutico para entender que isso tinha a ver com essas vidas que se foram e me acompanham”.

Rota 66 – A Polícia que Mata e seu elencorota 66 - a policia que mata

Humberto Carrão (O Animal Cordial) molda o seu protagonista com afinco e maturidade e não perde a oportunidade de demonstrar que Barcellos sempre foi um profissional sedento pela verdade, mas inexperiente em vários outros aspectos da vida. É ajudado por coadjuvantes ótimos como Lara Tremouroux, Aílton Graça, Adriana Lessa e outros.

Esta é uma exemplificação da mentalidade da sociedade daquela época. Quer mais? Traça um revoltante perfil da Rota, que atirava antes e perguntava depois (ou melhor, nem isso fazia). Ao mesmo tempo, nos faz pensar sobre a truculência atual daqueles que deveriam nos proteger.

Os dois primeiros episódios

O primeiro episódio conta com cerca de 50 minutos. É uma amostra de tudo aquilo que nos aguarda, com a ambientação e a apresentação de todos. As mortes já se acumulam e Barcellos já está dentro da investigação. Há apenas uma relação (entre pai e filho) que tem uma estrutura novelesca.

Em seguida, porém, é gerado um sentimento ainda maior de perplexidade no espectador. O grito da esposa em certa altura, é um retrato de tantas famílias que jamais encontraram seus entes queridos, eliminados por uma instituição que carecia de ética, moral ou princípios.

O 3º episódio de Rota 66 – A Polícia que Mata

Não há como negar que o texto vai ficando cada vez mais perturbador. A série faz o espectador pensar e, além disso, homenageia (de uma forma ou de outra) aquelas pessoas que foram vítimas com seriedade e respeito. Na entrevista coletiva, o ator Humberto Carrão disse:

A óptica dele (Caco Barcellos) é sobre quem sofre a violência. A série é quase uma homenagem ao jornalismo do Caco e àquelas famílias“.

Algo ocorre em uma ação policial que, certamente, mudará os rumos da série. É como se a vida precisasse desses detalhes sórdidos para colocar na cabeça de alguém que um guarda chuva nas mãos de um inocente, jamais pode ser confundido com uma arma. Coisa que os policias da Rota fizeram inúmeras vezes e saíram ilesos.

Sobre isso, a atriz Naruna Costa, que vive Anabela, cia o seguinte: “Eu vivenciei tudo isso. E quando chegou esse papel, foi muito importante a decisão do ‘sim’. Acima de tudo, é doído para quem tem uma relação direta com essa dor. A Anabela é a tradução dessa força.A imagem do ‘bandido’ a faz ir para a luta. Transformando-a numa militante. Então, ela segue por décadas e se aproxima de outras famílias. A verdade é maior do que se mostra e as Mães de Maio, por exemplo, provam isso hoje em dia. O Brasil ainda carrega esse painel em nossa sociedade, ou seja, a série também é sobre hoje”.

Ainda existe muita coisa para acontecer em Rota 66 – A Polícia que Mata. Mas mesmo sendo um assunto difícil, precisa estar no radar de todas as gerações, para notarem o quão prejudicial foram esses anos.

Como assistir Rota 66 online?

Para assistirRota 66online, basta acessar o streaming do Globoplay e, em seguida, escrever o nome da série no campo de buscas. Lembrando que a primeira temporada conta com 6 episódios que tem a duração de 45 minutos a uma hora.

Enfim, é uma pena que, ainda hoje, uma porcentagem fardada ainda atira sem perguntar absolutamente nada.

Trailer de Rota 66 – A Polícia que Mata

Deixe um comentário

Você não pode copiar o conteúdo desta página