Fernanda Baronne, a voz de Camille, do spin-off Berlim, da Netflix

0
spin-off Berlim

Após dois anos do encerramento de La Casa de Papel, temos o lançamento do spin-off Berlim, protagonizado pelo ator Pedro Alonso. Além dele, outros atores da produção espanhola lançada em 2017 também retornam para o spin-off, como Itziar Ituño e Najwa Nimri, que dão vida a Raquel Murillo e Alicia Sierra, respectivamente.

A aventura do personagem se desenrola no passado, antes mesmo de receber o apelido Berlim. Então, o ainda conhecido como Andrés de Fononolossa lidera o que apresenta como “sua melhor quadrilha”. A equipe se encontra em Paris para realizar um assalto em uma importante casa de leilão da cidade, que possui um acervo de jóias, avaliadas em 44 milhões de euros (cerca de R$273 milhões). E, se em “Casa de Papel” Berlim era um criminoso frio e calculista, capaz de ser cruel, aqui é tudo diferente.

A nova trama corrompe e degrada seu protagonista para torná-lo um amante latino de manual, com a autodefinição de “alguém dividido entre as duas coisas fundamentais na vida –  o amor e o dinheiro”. Amor esse chamado de Camille Polignac, justamente a mulher do dono da casa de leilão.

spin-off Berlim
Fernanda Baronne, dubladora de Camille, do spin-off Berlim

Detalhes sobre o spin-off Berlim e a dubladora Fernanda Baronne

Aqui no Brasil, a série que estreou no dia 29 de dezembro de 2023, segue em alta entre os assinantes da Netflix. Além da trama diferenciada, a dublagem nacional como sempre vem conquistando elogios.

Fernanda Baronne, atriz, dubladora e diretora de dublagem, conhecida, entre muitos papéis, por ser a voz de atrizes como Scarlett Johansson, Anna Paquin, Jennifer Garner e Eva Green. No spin-off Berlim, ela dubla a personagem Camille, o grande amor do protagonista e comenta que se identificou com a personagem em alguns aspectos, como o fato da residência em Paris, cidade onde Baronne viveu por 5 anos durante curso universitário e também sobre como é dublar uma série em espanhol. 

Foi muito incrível entrar nesse universo de A Casa de Papel, uma das minhas séries preferidas. Dublar uma produção em idioma espanhol pode parecer fácil, a princípio, mas a similaridade entre o Espanhol e o Português pode complicar o processo. As palavras são muito parecidas, mas nem sempre são usadas da mesma forma e na mesma posição na frase, então, tem que ter muito cuidado com a adaptação para não perder o sentido ou  sacrificar demais o sincronismo labial. Sorte que a tradução da série estava ótima, isso ajudou bastante” explica. A direção de dublagem da série foi de  Marco Aurélio Campos.